Contato

Conheça mais sobre nossos projetos no nosso site http://www.cosmopolitaarquitetura.com.br, e também em nossa página do Facebook https://www.facebook.com/cosmopolitaarquitetura

11 de out de 2011

New Museum - NYC


New Museum 
(Fonte: Ronaldo Belló)

Quem passeia pela região do Lower East side, na ilha de Manhattan, e se depara com o edifício acima, seguramente fica intrigado. Seja pelo contraste com a uniformidade dos tijolos vermelhos dos edifícios vizinhos, seja pelo formato assimétrico, a sua função não poderia ser muito diferente: abrigar o novo museu de arte contemporânea de Nova York. O projeto, criado pelo grupo de arquitetos Japoneses SANAA, surgiu em resposta às necessidades de uma instituição com atitude, que expõe temas de caráter político, provocativo e polêmico.


Vista para o Lower East Side, com detalhe para a grade metálica
(Fonte: arquivo pessoal)


A criação do edifício se deu através de concurso público oferecido pelos investidores do Museu. As premissas do projeto eram um programa funcional, porém que apresentasse soluções de espaço flexível, aberto, com diferentes alturas e atmosferas. Algo que transmitisse e inspirasse, se enquadrando dentro do contexto urbano da região e não extrapolando o valor dos 50 milhões de dólares. 

Vista de uma das circulações verticais internas, onde predomina 
concreto e paredes brancas.
(Fonte: arquivo pessoal)

O resultado obtido, depois de varias tentativas e erros, é uma forma dinâmica. São seis caixas retangulares empilhadas na vertical e revestidas por camadas de grade metálica, as quais enfatizam os volumes e produzem efeitos brilhantes na pele do edifício. Aberturas e zenitais foram posicionadas por trás da grade, iluminando naturalmente os núcleos de exposição e auxiliando no caráter mutante do edifício.


Biblioteca do museu, banhada de maneira farta por luz natural. 
O banco de concreto junto à janela forma um ótimo espaço de leitura.
(Fonte: Ronaldo Belló)

O banheiro feminino mistura uma estampa tradicional, o floral, 
com um revestimento atual, a pastilha de vidro. 
(Fonte: arquivo pessoal)

Vista do Lobby. Mais um espaço bem livre, subdividido por móveis e elementos divisórios. A divisória curva é de madeira e tela metálica, e abriga a lojinha.
(Fonte: arquivo pessoal)

O balcão de atendimento e venda de ingressos tem um grafite preto e branco atrás, e já da um preview do tipo de arte a ser encontrada no seu interior.
(Fonte: arquivo pessoal)

Vista da porta do elevador principal.
(Fonte: arquivo pessoal)

Vista do café, posicionado no fundo do lobby.
(Fonte: arquivo pessoal)


Fonte: Nicolas Ruales Falconí, da UFPR. Estudo de caso de Trabalho de Graduação.
Agradecimentos especiais: Nicolas e Ronaldo, por compartilharem comigo as opiniões e material a respeito da obra e pela cia. durante a visita ao museu.

Nenhum comentário: